Compartilhar Orkut

Carregando

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

5 cargos que provavelmente irão surgir

A Social Media ou Mídia Social está mudando cenários, formando tendências e mercados de trabalho. Como estamos apenas no início do que se tornará de fato a Social Media no mundo, cargos de trabalho que hoje ainda não existem podem vir a se tornar alguns dos mais importantes para a empresa.
Abaixo irei listar 5 cargos que provavelmente irão surgir (com estes ou outros nomes) nos próximos anos. Dependendo do tamanho da empresa os cargos podem nem ser necessários.
International Community Compliance Chief: Redes sociais como Orkut, MySpace e Facebook estão dominando o mercado no Brasil, mas e nos demais países como EUA, Japão e Coréia? É preciso que este profissional acompanhe a empresa nas demais redes sociais fora do país de origem. Verificar links de referência para os sites internacionais da companhia seria uma das tarefas.
Community Manager: Se o produto e/ou serviço da sua empresa é bom, então merece ser divulgado, comentado, discutido. Fóruns de discussão, blogs, comunidades em redes sociais, você precisa então do Community Manager. Ele vai interagir nas redes, de forma a parecer um membro oficial da empresa, não um Spammer ou algo semelhante. Esse profissional precisa conhecer tudo sobre a empresa, os produtos e serviços, ter acesso a documentação.
Online Reputation Manager: Enquanto o Community Manager acompanha as discussões públicas sobre a empresa, o Online Reputation Manager acompanha a reputação da empresa como um todo. Ele precisa ter conhecimento sobre os principais concorrentes da empresa, saber o que fazem na Web. Precisa ficar atento aos novos mercados e às requisições de clientes. É como se fosse um agente espião, por boas razões, é claro… da empresa.
Blogger Outreach Manager/Blog Cultivation Expert: A empresa tem um blogueiro que conhece e escreve extremamente bem sobre seus produtos/serviços? Um que tenha um relacionamento ativo na blogosfera “local”, com bom PageRank e ocasionais chamadas em sites de crowdsourcing como Rec6, Digg, Linkk e DiHitt ? Blogueiros são potenciais “gerentes” para o público jovem, especialistas no “marketing viral”, sabem como chamar atenção, seja no meio em que atua, seja em sites de busca. Eles têm um relacionamento individual com seus leitores, tratam cada um com singularidade, em tempo real.
Chief Conversation Officer: Para concluir, este profissional se reporta aos demais, ele está no topo. Ele é o responsável por encontrar as conversas online, documentá-las, compartilha-las e analizá-las.
E aí? está preparando alguns profissionais na sua empresa para exercerem esses cargos?

Fonte: OnlineMarketerBlog

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Se Atualize!!!!

A Internet transformou profundamente o modo como as pessoas conheçem o seu produto e realizam suas compras. Dez anos atrás, as empresas chegavam até seus clientes através de feiras, anúncios impressos, e outros métodos tradicionais de marketing.

Hoje, os compradores começam sua experiência de compra com uma procura na Internet, nos motores de busca, a blogosfera e sites de mídia social. A fim de se manterem competitivas, sites das empresas precisam ser encontrados online por pessoas que estejam procurando os seus produtos e serviços.

Você que já está na internet faça uma reavaliação dos canais utilizados e até do seu site. Entre outras tantas formas, veja se ela está otimizado para os buscadores.

Você que não está na internet com certeza está perdendo grandes negócios.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

E-BRANDING - UMA NOVA FORMA DE CONSTRUIR MARCAS

Um levantamento feito pela consultoria Millward Brown, especializada em pesquisas de mercado, revela que a marca mais valiosa do mundo é o Google, com um valor de mercado de US$ 86 bilhões, o que representa uma alta de 30% em relação ao ano passado.
Para muitos publicitários, a construção da marca é um dos principais objetivos quando uma empresa investe em propaganda. Principalmente, quando levamos em consideração as campanhas institucionais, ou seja, as campanhas publicitárias que não divulgam preços, formas de pagamento ou promoções, mas sim valores e idéias compartilhadas por essa empresa.
Há décadas a indústria da propaganda vem lembrando o mercado a importância da construção das marcas. Desde o lendário David Ogilvy, que registrou a famosa frase “Toda propaganda deve contribuir para o complexo símbolo que é a marca”, até os dias atuais. Por isso,uma das principais formas de medir a eficácia de uma estratégia de comunicação continua sendo o recall, ou seja, a lembrança da marca.Analisando os investimentos publicitários no Brasil, podemos observar que as principais marcas brasileiras investem a maior parte do seu budget em mídias tradicionais como televisão, revistas e jornais. Ou seja, as empresas brasileiras continuam apostando que essas mídias irão contribuir de forma mais relevante para a construção de suas marcas.Esta não parece ser a mesma opinião do Google, a marca mais valiosa do mundo. Quem já assistiu um comercial de TV do Google? Ou um anúncio de jornal ou revista (não vale anúncio de empregos, só institucional)? Entretanto, já tive contato várias vezes com a marca Google em reportagens de jornais, revistas, programas de TV e websites. Já li inclusive livros sobre a história da empresa. Também já recebi convites de meus amigos para participar do Orkut e fazer meu Gmail (era difícil conseguir um). Sei também que o Google promove feiras, concursos e outros eventos muito comentados no meio tecnológico e de Marketing. Outra forma que me relacionei com a marca foi através de campanhas virais na Internet. Todavia, nada me faz lembrar mais a marca do Google do que as inusitadas experiências que tive quando utilizei seus produtos. Como me marcou a primeira vez que vi minha casa no Google Earth.Isso mostra que a estratégia de construção de marca do Google é bem diferente da maioria das empresas nacionais. Suas ações estão baseadas em novas disciplinas de propaganda e marketing como Mídias Digitais, Marketing Promocional, Relações Públicas, e, principalmente, em um produto inovador. E o pior, de acordo com o levantamento da Millward Brown, somos nós que estamos errados.

*Rafael AndakuDiretor de Criação da e-brand Estratégias Onlinewww.e-brand.com.br

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

A Rede Globo e as Redes Sociais

O que repercutiu semana passada foi o comunicado da Folha de SP e da Rede Globo que informaram a seus colaboradores regras e políticas para uso do Twitter e das Redes Sociais.
A partir desses anuncios, sugiram diversas retaliações e comentários negativos da opinião pública que se mostraram contrários a postura dessas empresas em criar regras e políticas que restringem a liberdade de uso dessas ferramentas online por seus funcionários.
Qual a sua opinião sobre isso?

sábado, 5 de setembro de 2009

Case Geladeirinha da Coca Cola, ainda mereçe ser comentado...


A Coca Cola lançou uma nova bebida no mercado e como parte da ação enviou para cerca de 10 blogueiros uma geladeirinha. Este assunto gerou um buzz no meio. Quem recebeu, quem não recebeu, quem "se achou" ou "não se achou" comprado.
Sinceramente, achei isto tudo uma grande bobagem. Ser comprado por uma geladeirinha de $50 ? A Coca Cola atingiu o objetivo. Não sei se foi ou não de propósito, mas gerou um barulho que ao meu ver foi interesante e que de jeito algum vai macular a imagem da grande Coca Cola.
Gostei da ação da Coca Cola!!! Eu que venho de outro tipo de mídia, como diria da publicidade tradicional acho isto tudo muito normal. Já fizemos ações similares e também já fomos alvo de ações pareçidas. Noticiar ou não fica a cargo de cada um, do contexto em que se encontra, etc. Quando recebia algo assim me sentia mimada e não com "comprada".
O Bom Senso é o que vai prevaleçer. Então, cabe a cada um a decisão de publicar ou não publicar, receber ou não receber os "mimos".
Olhando o lado do leitor: O leitor não é "burro" e ele percebe o que está atrás de algumas campanhas, patrocínios e tem o discernimento de aceitar ou não as mensagens, comprar ou não àquele produto e ponto final.